• Home
  • Blog
  • Business
  • Preconceito é a principal dificuldade para quem quer trabalhar com cannabis no Brasil

Preconceito é a principal dificuldade para quem quer trabalhar com cannabis no Brasil

Segundo pesquisa da Kaya Mind feita na última edição da Medical Cannabis Fair, fator é considerado um entrave para mais de 34% das pessoas que participaram da Medical Cannabis Fair 2022, seguido da falta de informações (27%)

Na última edição da Medical Cannabis Fair, que aconteceu no mês passado em São Paulo, a Kaya Mind, um dos expositores da feira, fez um estudo com os visitantes do evento. O estudo da startup contou com 1.022 entrevistados e teve como objetivo estudar o cenário do mercado de cannabis no país e entender o comportamento de consumo dos participantes do evento. 

De acordo com os dados coletados pela empresa especializada em dados e inteligência de mercado nos quatro dias da MCF, o preconceito e a falta de informações são as maiores dificuldades para mais de 61,6% das pessoas que trabalham ou querem trabalhar com cannabis no Brasil.

Segundo a Kaya Mind, o preconceito foi considerado a principal dificuldade ao trabalhar com cannabis no Brasil para 34,3% dos respondentes, seguido da falta de informações, que foi apontada como o maior entrave para cerca de 27,2% dos entrevistados que estavam no evento. 

Em terceiro lugar no ranking, está a falta de infraestrutura, que foi o fator mais levado em consideração por 16,2% das pessoas. Na sequência estão também a falta de divulgação e marketing, apontada como empecilho para 12,4% dos participantes, a dificuldade de achar vagas, com 7,3% das respostas e outros motivos, com 2,3%. 

Apesar de ter tido 1.022 respostas no total, a Kaya Mind ressalta que nem todas as pessoas trabalham com cannabis ou chegaram a essa parte da pesquisa, por isso os números são menores do que o volume de respostas. 

Para Maria Eugenia Riscala, cofundadora e CEO da Kaya Mind, “o disparo de respostas apontando o preconceito e a falta de informações como maiores entraves do setor ressalta ainda mais a importância da elaboração de pesquisas e estudos científicos na área para quebrar esses paradigmas na sociedade, além da promoção de eventos, cursos e de pessoas qualificadas falando sobre o assunto”.

A executiva ainda afirma que além dos inúmeros benefícios comprovados da terapia canabinoide para o tratamento de patologias, o relatório Impacto Econômico da Cannabis, elaborado pela Kaya Mind, estima que o mercado da planta no geral poderia movimentar R$ 26,1 bilhões no Brasil no seu quarto ano de regulamentação, sendo R$ 4,9 bilhões do mercado de cânhamo no âmbito industrial, R$ 9,5 bilhões com o uso da cannabis medicinal e R$ 11,7 bilhões com o uso adulto da planta.

Curadoria e edição Sechat, com informações de Kaya Mind

Artigos relacionados

  •  +55 11 2365-4336

  • Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

  • Estamos em  São Paulo

  • Alameda dos Maracatins, 1217 - Conj. 701
  • Indianópolis - São Paulo - SP

Cadastre-se em nossa newsletter

Nos conte o seu nome :)
Acho que existe algo errado em seu e-mail.

Olá, esse é o canal via Whatsapp da Medical Fair Brasil. Aqui você tira dúvidas sobre assuntos como: inscrição, quero expor, palestras e assuntos relacionados a feira.

WhatsApp
Close and go back to page